PUBLICIDADE

Topo

Como a suplementação intramuscular pode melhorar o rendimento no treino

Fernando Guerreiro

12/09/2020 04h00

Crédito: iStock

Alguns meses atrás, estava me sentindo muito cansado no dia a dia, minha produtividade estava baixa e meu rendimento nos treinos caindo muito. Então, após consultas com uma especialista, recentemente comecei a fazer um tratamento utilizando nutracêuticos, suplementação intramuscular de aminoácidos, vitaminas, polifenóis e compostos bioativos.

Por muito tempo pouco se falou do uso de nutracêuticos para a melhora da qualidade de vida. Com a percepção da importância de unirmos a nutrição, a atividade física e a suplementação correta para trazer ganhos em performance e longevidade saudável, agora eles vêm ganhando aplicabilidade clínica.

Para que servem?

Segundo Juliana Ezequiel, farmacêutica bioquímica e especialista em saúde estética e nutrição, a combinação de alguns ativos pode gerar correções metabólicas, desintoxicação do organismo, redução da inflamação, aumento da força física, energia mitocondrial e capacidade cognitiva do paciente, além de benefícios como otimizar o emagrecimento e o ganho de massa magra.

Ao fazer a aplicação intramuscular dessas substâncias, aumentamos a resposta ao uso desses compostos, e sua biodisponibilidade também se torna muito maior. Entre os ativos mais usados para uma melhor recuperação e rendimento nos treinos estão:

D-Riboseé um carboidrato que tem estrutura molecular diferente da glicose e atua como matéria-prima primordial para a formação de ATP (responsável por gerar energia mecânica e possibilitar a contração muscular). Auxilia na redução de edemas, na síntese de energia e na recuperação muscular.

PQQ (pirroloquinolina quinona): possui propriedades antioxidantes e funções de reparação cognitiva, com importante papel no processo de envelhecimento e na estimulação natural dos níveis energéticos ligados à concentração e ao desempenho, estimulando a formação de novas mitocôndrias.

L-Arginina: atua contra a inflamação, infecção e diminuição da dor. Para o desempenho do atleta, contribui diminuindo a dor conforme os músculos se recuperam.

L-Carnitina: potencializa o oxidação de ácido graxo (gordura) e melhora o desempenho físico.

HMB: tem efeito anticatabólico e ajuda a aumentar e a manter a massa magra, regulando o metabolismo proteico.

NAC: precursor de glutationa (maior antioxidante produzido por nosso corpo), evita sobrecargas de toxinas e infecções, assim beneficiando o metabolismo, a construção de músculos, força e o sistema imunológico.

As doses e ativos utilizados são sempre individuais, de acordo com a necessidade de cada paciente. Por isso devem ser sempre administradas por um especialista. Também é importante lembrar que a suplementação não faz milagres e, para você ter resultados, deve estar aliada a uma boa alimentação, um bom programa de treinos e boas noites de sono.

"Nós somos o que comemos, absorvemos e excretamos" e, muitas vezes, por alguma falha nesse sistema, temos nossa performance ou metabolismo comprometidos.

Depois de um mês de tratamento, já me sinto rejuvenescido e minha performance nos treinos melhorou significativamente.

*As informações sobre os suplementos foram passadas pela Dra Juliana Ezequiel (CRF 58.844), farmacêutica bioquímica especializada em saúde estética, nutrição ortomolecular e pesquisa e desenvolvimento de medicamentos e fitoterapia

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Fernando Guerreiro é formado em Educação Física, especializado em treinamento funcional e ultramaratonista. Também é head coach da We Move Brasil, equipe especializada em desenvolver um estilo de vida saudável e transformador.

Sobre o Blog

Dicas e mensagens motivacionais para os homens que desejam melhorar a cada dia seu estilo de vida através da atividade física. Um espaço para tirar dúvidas e também para encontrar a motivação que o levará a quebrar barreiras físicas e mentais.