PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

Cinco passos para melhorar sua corrida

Fernando Guerreiro

25/01/2020 04h00

Crédito: iStock

Muitas pessoas começam a correr desafiadas pelos amigos que já praticam o esporte. Outras se sentem inspiradas por ver as pessoas correndo. E também tem os que são obrigados pelos resultados médicos a calçar seus tênis e suar a camiseta.

Independentemente do que levou você para o mundo da corrida, sem orientação profissional todos os corredores chegarão num estágio em que os resultados congelarão e a evolução se tornará cada vez mais lenta e difícil, tornando-se quase que impossível correr um quilômetro a mais ou um minuto mais rápido.

Fisiologicamente, o nosso corpo se adapta aos estímulos e começa a desenvolver mecanismos para gastar menos energia. Desta forma, a rotina de apenas calçar o tênis e correr entra na fase de estagnação rapidamente.

E hoje, com 5 passos básicos, que não irão mudar a sua rotina que já deve ser "corrida", mostrarei estratégias para a sua evolução. Seja baixar seu tempo ou aumentar a sua distância.

1 Treine com consistência: O que pode estar atrapalhando sua evolução é treinar quando dá, ou como você quer. Quando se trata de evolução, a disciplina de não perder uma série de treino é extremamente importante. A consistência se torna indispensável pelo fato de que a cada série seu corpo está sendo exposto a sessões mais duras e exigentes de forma gradativa. Esta exposição te levará a resultados fisiológicos, seus músculos se tornarão mais fortes e seu condicionamento cardiovascular se tornará mais resistente. Quando você treina de qualquer forma, seus músculos não têm o estímulo que precisam para se fortalecer e muito menos o coração é estimulado o suficiente para se tornar mais resistente.

2 Faça exercícios educativos: São exercícios tão fáceis que a maioria dos corredores não dá a importância devida. Isso é um erro que cobra um preço alto no dia da prova, quando a técnica precisa estar limpa o suficiente para o corpo render o máximo exigindo o mínimo de esforço necessário. Exercícios educativos tendem a desenvolver técnica e coordenação motora. Quanto menos técnica e coordenação motora, maior é o desgaste energético e o risco de lesão. Uma dica legal é usar o tempo de aquecimento para fazer estes exercícios, de 5 a 10 minutos, você melhora seu gesto motor e já entra na pista para correr aquecido.

Quanto mais você praticar os educativos, melhor se torna a sua corrida, é como falar uma língua estrangeira, quanto mais você pratica, mais fácil se torna, até que se torna um hábito. De tanto praticar os educativos você desenvolverá uma corrida com boa postura, passada correta, naturalmente seu desempenho irá melhorar.

3 Invista no treino de base: Quer treinar duro e sem se machucar? O desgaste muscular em corredores é muito alto. Isso traz alguns riscos, que vão de lesões até estética e perda de performance. Ter uma rotina de preparação com musculação, funcional, pilates, CrossFit ou outras tantas opções (exceto futebol, ok?) é indispensável para ter músculos fortes e resistentes. Nestes treinos de base você trará novos estímulos musculares, desenvolvendo fibras fortes e resistentes, que promoverão performance e também manterão uma aparência de saúde, mesmo que você perca dezenas de quilos.

4 Alimente-se como uma máquina: Você já viu um carro movido a gasolina andar movido a gordura? Ou água? Difícil até de imaginar, não?
Pense no seu corpo como um carro de alta performance, se você não colocar o combustível certo, além de ele não chegar na velocidade projetada, ainda tem o risco de estragar o motor. Se o alimento diário não estiver de acordo com a demanda calórica do treino, dificilmente você conseguirá evoluir.

Sim, é muito importante ter momentos de comer o que quiser, beber o quanto desejar, enfiar o pé na jaca, porém, lembre-se sempre de que o carro só desempenha o que se espera quando é colocado o combustível certo no tanque.

5 Alongue-se e descanse: Tão ruim quanto a falta de treino é o excesso dele. Muitas pessoas ainda pensam que quanto mais melhor, o No pain, no gain. Tome um cuidado especial com o seu descanso, é neste tempo que seu corpo está assimilando os resultados fisiológicos de todo o esforço que você fez na sua série de treino. Tempo em que seus músculos estão se recuperando.

Procure também se alongar no mínimo três vezes por semana, deixar seus músculos soltos e relaxados, tente fazer isso no final de toda sessão de treino, caso não consiga, dê prioridade nos dias de maior fadiga. Muitos vão falar que o alongamento não melhora a performance ou evita lesões. Sim, isso é comprovado. Mas lembre-se, muitos de nós passamos oito, nove, dez horas na cadeira. Isso gera uma musculatura encurtada, que prejudica o treino e a qualidade de vida.

Vamos, é o tempo de voar baixo!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Fernando Guerreiro é formado em Educação Física, especializado em treinamento funcional e ultramaratonista. Também é head coach da We Move Brasil, equipe especializada em desenvolver um estilo de vida saudável e transformador.

Sobre o Blog

Dicas e mensagens motivacionais para os homens que desejam melhorar a cada dia seu estilo de vida através da atividade física. Um espaço para tirar dúvidas e também para encontrar a motivação que o levará a quebrar barreiras físicas e mentais.

Blog do Fernando Guerreiro